domingo, 11 de outubro de 2009

Espanha

A admissão em uma universidade espanhola é relativamente simples e o país está entre os que mais concedem bolsas a estrangeiros.

Trata-se de um país burocrático. O sistema de ensino é classificado, por muitos, como mediano. Entretanto, Universidades como Complutense de Madrid e Carlos III são referência na Europa.

O principal teste de proficiência é o DELE, que pode ser feito no Instituto Cervantes. São poucas as universidades que os exigem na admissão, mas os programas de bolsa privilegiam os candidatos que possuem o DELE.

Brasileiros que desejam fazer mestrado devem optar pelo “Máster oficial”, que está em conformidade com o Processo de Bolonha, portanto, um grau reconhecido e passível de ser revalidado no Brasil.

Há muita dúvida em relação ao “doutoramento direto”, ou seja, admissão a um curso de doutorado sem exigência de mestrado prévio. Entretanto, esta possibilidade foi extinta após a implantação do Processo de Bolonha. Atualmente na Espanha, o mestrado é um pré-requisito para ser admitido ao doutoramento.

3 comentarios:

Fer disse...

Pois é, Dani. E, se não me engano, nosso mestrado não conta para admissão no doutorado lá. Fui informada pela Universidade (UGR) que para cursar o doutorado (mesmo eu tendo meu mestrado aqui) eu teria de fazer um ano relativo ao máster. Daí, sim. Nos outros dois anos eu faria o doutorado, já com esse 01 ano de mestrado lá.

Abraços,

Daniela Silveira disse...

Fer,

Talvez a senhora não tenha lhe explicado direito.

Os doutoramentos de Bolonha tem duração de 03 anos, prorrogáveis.

Algumas universidades exigem parte letiva, outras não.

As universidades que exigem parte letiva nos cursos de doutoramento:
- 1º ano:letivo com aulas e apresentação de trabalhos e/ou provas.
- 2º e 3º anos: parte investigatória.

A maioria das universidades adotou este formato. Portanto, mesmo com o mestrado, o aluno deve cumprir a carga horária letiva do curso de doutoramento.

Há ainda outro detalhe: Algumas universidades eximem os alunos da parte letiva do doutoramento, caso estes tenham obtido notas consideradas muito boas (geralmente superior a 80%)na parte letiva do mestrado.

Portanto, há grande variação nos formatos dos cursos. Entretanto, uma coisa é fato: o mestrado brasileiro, após feito a equivalencia, é aceito na União Européia.

Tanto clichê, deve não ser. disse...

Que sorte encontrar esse blog!
Estou indo para a Europa em janeiro!

Seguindo já...:)

Postar um comentário